28 março 2008

Flip Flip...Flip like That!

Antes

Dez anos depois, os Portishead estão de regresso. Onze anos depois do ultimo album de originais, dez depois da ultima tour, que incluiu o até agora unico concerto em Portugal, na segunda edição do festival Sudoeste. Na altura, não obstante a presença no cartaz de Cure, Placebo, Pj Harvey, Fun Lovin' Criminals ou Sonic Youth, fiz a deslocação até à Zambujeira (de autocarro e sem os 'confortos' que as ultimas edições oferecem aos festivaleiros) exclusivamente por causa destes senhores, e diva.
Presentearam aquela que ate hoje continua a ser a maior enchente de um Sudoeste (falou-se em 40 mil pessoas) com um concerto de outra dimensão que soube até contornar o obvio, que aquele não era o palco ideal para a sua musica. Conseguiram agarrar senão toda, mais de 90% da assistencia, coloca-la em silencio para ouvir aquela que, me perdoem todas as outras e respectivos fãs, é a melhor voz feminina, secundada por um pequeno grupo de instrumentistas de eleição regidos pelo maestro Geoff e seu maravilhoso scratch. Sera que quem gosta ja deu conta da enorme influencia do hip hop e das suas tecnicas na musica deles?

Agora

Casa cheia de devotos fãs para o arranque da digressão (tres dias antes ja ca estavam a ensaiar, é bom ver que ha quem retribua um carinho especial a quem da um carinho especial, ao contrario por exemplo de uns Radiohead que parecem querer ignorar de novo Portugal, agora que são por todos escolhidos como a mais importante banda...não se lembram de onde estrearam o epico 'Ok Computer' ou onde rodaram as canções ainda por editar de 'Hail to the Thief' em 5(!!) concertos esgotados? Adiante...Outro belo concerto, numa sala muito mais condizente com o som da banda. Efeito tão bombastico era impossivel, mas não desmereceu. Obviamente mais emoção e entrega do publico nas musicas classicas como 'Glory Box', 'Roads' ou uma belissima 'Over', mas bom alinhamento a percorrer grande parte do novo album (8 de 11 musicas), algumas com resultados entusiasmantes, como 'Machine Gun', 'Threads' ou 'We Carry On', super electronica e ultima musica do concerto.

O disco

Ainda precisava de mais audições para poder ter uma opinião final e não queria estar na pele daqueles que vao ter que dar nota ao album em publicações...mas ja tenho varias de que gosto bastante, acho que funciona enquanto peça, o que é importante e nem sempre acontece num album, e saudo a coragem e vontade de arriscar, principalmente de quem podia precisamente fazer o contrario. E a voz de Beth, bem, inigualavel.

6 comentários:

Marco Costa disse...

chefe! um unico comentário...
como dizem os up bustle and out...
el sonido de bristol!!!!

trip-hop rulez!!!!

João Santos disse...

comentaste e ainda nem tinha acabado!lol boa cena
sao muito bons eles, abraço

skinny disse...

So tenho uma coisa a dizer.... quanto aos Radiohead, sinceramente foi o melhor concerto que alguma vez assisti, foi o concerto da minha vida... e n foi apresentacao do "amnesiac" mas sim do "hail to the thief". A banda esta cansada de digressoes.. acho que e mais por isso que n vem a portugal.

João Santos disse...

obrigado pela correção, foi de facto o hail to the thief, ja corrigi no post.agora essa de cansados de digressoes...vao estar em quase todos os paises da europa, mais de q uma vez em alguns sitios e depois off we go to america...por isso nao sei nao...e tb foi dos concertos da minha vida, ate escrevi aqui sobre isso ja, estive no ultimo do porto,gostei mesmo muito.mas nao faço deles deuses. Os Daft Punk por exemplo estiveram anos sem tocar mas tinham prometido ao sudoeste a presença quando fizessem tour e ca estiveram.nao fica mal mostrar gratidao.ate porque o publico portugues, mesmo com gritos e palmas e caloroso como poucos.

Marco Costa disse...

eu vou ve-los a barcelona!!!! ;)

oiéee

Bri disse...

Marco, leva-me contigo :)

Quanto a mim que não tive o gosto de os assistir no Sudoeste, esta primeira experiência numa sala com os Portishead foi simplesmente deliciosa! :)

e duas foram as coisas que melhor recordo...

- A voz de Beth Gibbons... Encantadora!!! Um instrumento digno de uma medalha de ouro...

- E o scrach do DJ, que, infelizmente, pouco se faz ouvir neste último album!!! Houve alturas que senti que era o Vinil e era eu quem rodava na mesa de som! :)

O disco, gosto bastante! Gosto bastante mas com algum saudosismo do trip-hop que falas... Este é mais trip e menos hop! :) :) Será que se pode dizer isto?! :):)

De qualquer forma parece-me um grande album de regresso... 10 anos depois, tudo teria que ser muito diferente né?! O que eramos nós 10 anos atras?! :) :)

Kiss

Marco, leva-me contigo :)