29 março 2008

Concerto de Portishead em lisboa.

Pois… Serei o único a dizer que o publico que assistiu o concerto em Lisboa é bastante infantil e histérico???
Curtir e ficar emocionado com o concerto é mesmo isso apenas, curtir e sentir a musica cá dentro. Não ter berrinhos histéricos a todo o momento… O espectáculo eram os Portishead e não nós audiência!!! Mas também me parece que quem esteve lá, quando os Portishead lançaram o Dummy em 1994, ainda usava fraldas, ou pior são uns freaks intelectuais à Lisboa que é muito cool ouvir musica “diferente”, ou é aquele pessoal que trabalha nessas empresas de M***A e tem montes de dinheiro mas pouco cérebro na tola!!!

Há regras básicas de assistir um concerto, para respeitarmos a banda, e quem pagou o bilhete para assistir o concerto:
1º - Nada de gritinhos nem palmas no meio das músicas, não estávamos a assistir a nenhuma boys band em que as rapariguinhas gritam que nem histéricas por tudo e por nada! Os Portishead foram das primeiras bandas a banir o conceito de estrela rock, muito patente em certas décadas musicais.
Houve certas músicas que foram completamente arruinadas por causa da histeria colectiva, eram momentos predominantes na música, e momentos intensos…
2º Essa mania dos lisboetas querem fazer de tudo um bailarico de aldeia nunca percebi, não se bate palmas nos meio das músicas a tentar acompanhar a musica, se querem festival ou baile vão para o sítio apropriado…
3º NÂO CANTEM AS MUSICAS!!! Eu paguei o bilhete para ouvir a magnifica voz da Beth Gibbons e não uma cambada de anormais que pensam que cantam muito bem mas so conseguiram estragar tudo…Concorram ao Ídolos e deixem-me em paz…Que infantis e egocêntricos… EU REPITO: O espectáculo eram os Portishead e não nós audiência!!!
4º Deixem acabar as músicas na totalidade, não batam palmas enquanto alguém em palco está a tocar alguma coisa!

De resto o concerto foi bastante conseguido, é certo que os Portishead estão agora numa onda mais intimista, pena é que o pessoal não tenha percebido isso, que aquelas letras e aquela musica não merecia ser tratada assim…
Mas há tantos anos em Lisboa ainda não me habituei…

Ah já agora podem-me chamar os nomes mais feios do mundo, até ressabiado… mas é a minha opinião, e como todas as outras vale o que vale…

19 comentários:

Marco Costa disse...

bem hajas grande branco!

a melhor contratação do defeso! :)

abraço.

João Santos disse...

Welcome.
Tb me irritei com as palminhas a meio das musicas no Porto, mas a situação depois acalmou ja q ate algumas pessoas do publico se manifestaram contra...pelo menos nao desataram aos berros Portugal,Portugal...lol
Mas ainda assim, gosto do publico portugues.

the little girl disse...

bem, eu irritei-me por não ter conseguido comprar o bilhete! mas já percebi que haviam mais razões que me iriam irritar mesmo que tivesse ido :) (apesar de tudo, achei o post divertido e ainda me ri bastante com isto).

brincadeiras à parte, esta merda não tem mesmo piada nenhuma, e concordo com o que disseste.

Bri disse...

Se não soubesse que esse episódio tinha sido em Lisboa pensava que tinhas visto o concerto ao meu lado! lol! :)
Não... :) Uns uuuuhhhhhuuuuuu não sou capaz de resistir [deve ser o que queres dizer nada de gritinhos :(]
Cantarolar, também cantarolei, mas baixinho. Tão baixinho quanto com o meu 1,50m e pouco! lol! :)
Mea culpa, mea culpa! :) :) [vou tentar evitar nos próximos] ;)
Eu concordo com o João, tb gosto bastante do público português... E parece que os artistas também parecem gostar! :)
O sorriso de Beth Gibbons pelo menos parecia querer dizer isso! :)

Tiago Fragata disse...

Desculpa Crystal Rat, mas parece-me um pouco reaccionário a tua opinião quanto à participação do público. O público pode muito bem entrar em sintonia com a banda, e por vezes, bater palmas e até cantar as músicas desde que não se faça de uma forma descoordenada e desproporcionada.
No Porto, houve situações em que foi totalmente desproporcionado, mas já fui a muitos concertos em que houve uma total participação da audiência, "um bailarico da aldeia" como tu dizes, e que foi espectacular. E também é o que nos diferencia de outros públicos.E mais, o espectáculo não são só os Portishead,é também a audiência, ao contrário do que dizes.

Crystal Rat disse...

Ya! Somos mesmo o melhor público do mundo! Aliás somos os melhores do mundo em tudo! Sou reaccionário??? Normalmente é sempre a critica que se dá a quem diz algo que não concordamos! (Portugal!!) Mas como disse a minha opinião vale o que vale, e pode valer pouco, por isso não me considero reaccionário, apenas dei uma opinião, dura sim porque infelizmente poderia ter sido um concerto de outro mundo e não foi, por culpa do publico!

Eu não gosto de publico português e não sei se as bandas gostaram assim tanto como se diz por ai! A maior parte das vezes, os jornalistas ao fazer essas perguntas às bandas dão as coisas como facto adquirido e é claro que ninguém no seu perfeito juízo ia discordar e dizer: "olha acho que há públicos melhores que os portugueses!!!"

Há concertos e concertos, e portishead não me parece ser o tipo de banda para esse bailarico de aldeia, havia momentos que se exigia silêncio absoluto, principalmente quando a Beth puxava um pouco pela voz, e o publico insistia na histeria colectiva...

E não, não O ESPECTÁCULO É SEMPRE A BANDA E NUNCA O PUBLICO, NUNCA...raro em ocasiões muito especiais, e isso é muito raro ser digno de registo...

Porque será que o concerto so teve um encore???? Não me parece que a banda tenha gostado muito, porque os encores são mesmo isso um agradecimento da banda!
Acenderam as luzes e o público maravilhoso português desertou! Se fosse assim tão diferentes ficam ali com luzes acesas a aplaudir e ai sim dar um ar de graça que somos um povo efusivo...
Discordo totalmente desse nacional porreirismo, não somos assim tão bons como pensamos, e se calhar é por isso que não andamos pra frente...mas isso são outros assuntos que para aqui não são chamados...
Eu dou a minha opinião, e repito, pode não valer nada, não sou assim tão egocêntrico e pensar que o que eu digo é o certo, mas não gosto que digam as coisas como uma verdade absoluta quando não o é...

trigger hippie disse...

branco! não posso deixar de registar a tua boa forma! és terrivel pa! faz mas é um post do que andas a ouvir... ;) para coligirmos mais leitores!!!!

eu acho que espectaculo em Portugal está poluido e massificado a "non-abusers" das cassetes musicantes!

Tiago Fragata disse...

Discordo TOTALMENTE do que disseste!
Já que para ti "O ESPECTÁCULO É SEMPRE A BANDA E NUNCA O PUBLICO", talvez preferisse ouvir-te falar mesmo do concerto...

trigger hippie disse...

fragata! keep up the good work!

Crystal Rat disse...

Ouve lá, o concerto foi em Lisboa,tiveste cá? Não me parece por isso não podes aferir do tamanho da palhaçada que foi!

Quanto ao pensares que o espectáculo também é o publico, não poderia discordar mais, que eu saiba a musica vive da criatividade, e se pensas que palminhas e histerismos tem alguma coisa de interessante e criativo, enganaste redondamente. Talvez se for um concerto de Shakira ou Back street boys talvez esse teu conceito se aplique porque ai a musica é apenas um adorno na vida de quem gosta desse tipo de musica.
Para mim a musica não é um adorno nem uma vaidade infantil. Como se o objectivo de quem bate mais palmas, ou gritasse histericamente ou cantasse as letras da musica, os amigos que tão ao lado ficassem super impressionados... E o pessoal faz isso mesmo para impressionar! Como olhem para mim pois sou super conhecedor desta banda ate as letras sei de cor!

Quanto ao queres que eu fale do concerto em si, só te digo isto, paguei um bilhete de €33 e vi as musicas todas a serem assassinadas pelo publico, assassinadas!O que vale foram mesmo as musicas do novo álbum que felizmente pouca gente conhecia e la se ouviu mais ou menos bem. A isso findo a única possível critica ao concerto pois o teu brilhante e "diferente" publico português assassinou o concerto. E pior é que os portishead notou-se que deram um concerto fantástico, perfeitamente executado, mas claro em vez de ouvir a magnifica voz da Beth ouvia uns anormais a cantar...mesmo que cantassem bem, eu paguei por outra coisa: A isso se chama: Respeito!
Mas eu é que sou o reaccionário!!!
E volto a lançar o repto se o concerto foi assim tão bom, porque só um encore? Normalmente a banda quando ta mesmo agradecida retribui pelo menos com mais um encore...mas fica esta pergunta no ar!
É por estas e por outras que eu só gosto de ir a concertos pequenos, pelo menos ai as pessoas comportam-se...mas lá tá sou eu o reaccionário que chateia muita gente quando fala um pouco mal deste nosso nacionalismo bacoco!!!

Bri disse...

"a estante, a estante, a estante está a arder..." é que eu sou tao irritante tao irritante que alem de saber as letras de cor ainda as traduzo para português!!!

Lololol

Mantenham-se calmos miúdos.. :)

E não vale ficar ofendido quando há quem tenha opiniões diferentes! Até porque há-de sempre haver!!!

Tiago Fragata disse...

As tuas respostas só demonstram seres ressabiado e sobretudo reaccionário!
Por respeito ao meu GRANDE amigo Marco, não comentarei mais este post

Crystal Rat disse...

Foda-se estavas à espera que me ficasse calado, depois de me chamares reaccionário? Podias ter sido mais original, não seres tão portuga, e puxares mais pela cabeça! Atacas-me, e eu não me calo!Mas pelos vistos o meu 1º post deve mesmo ter-te chocado, tocou-te no teu âmago "portuguêzinho"! Eu vi logo que tinhas ficado ofendido, mas ja que fazias parte do núcleo duro deste blog eu realmente devia ter ficado calado, porque ha mesmo falta de democracia aqui também...Já que és tanto GRANDE amigo do Marco,devias saber que foi ele que me convidado a escrever aqui,por isso esse respeito é relativo, mas findo a minha participação neste blog, pois não faz parte dos meus planos perder tempo com gente assim, tão pouco aberta a opiniões diferentes!
Aprende é a utilizar certos conceitos, mas como já estou habituado a que por aqui tudo que seja uma opinião diferente é sempre reaccionário e ressabiado...lê melhor os meus posts e vê mesmo quem é que ficou traumatizado com alguma coisa! Respeito!

Preguiça disse...

ó rato!

então tu acabas o post a dizer que te podiam chamar todos os nomes do mundo e agora ficas todo alterado porque te chamam o que já estavas à espera?

mantém-te calmo

o teu post foi, possivelmente, o pior que já li neste blog sobre música, e nem por isso me apeteceu responder-te , mas se alguém decidiu chamar-te a atenção para algumas coisas para as quais não estava de acordo, é pá ... respeito!

é verdade que o pessoal aqui tem um bocado a mania, não me parece estanho portanto que tivesses sido convidado. Devo dizer-te que uma vez dei grande tanga ao Thom Yorke e fui banido temporariamente, mas nem por isso me chateei e continuei a vir ler isto e a comentar sempre que achei oportuno

um abraço a todos, gosto de ver este blog com mais movimento para variar

Bri disse...

5 Regras básicas de convivência em sociedade:

1.º As pessoas tem o direito à expressão da sua opinião.
2º A restante sociedade tem o direito de contrapor a sua opinião.
3º As pessoas que nao gostam de ser apelidadas do que quer que seja (nomeadamente reaccionarios e ressabiado) não deveriam começar por apelidar a restante sociedade do que quer que seja (nomeadamente infantil, histérico, freaks intelectuais à Lisboa, pessoal que trabalha nessas empresas de M***A e tem montes de dinheiro mas pouco cérebro na tola, cambada de anormais, portuguesinho, etc)
4º Quando alguem vive numa cidade / num pais rodeado de pessoas que não suporta (AKA Portuguesinhos) deve estar na altura de procurar novos rumos na vida, já que corre o risco de se tornar numa pessoa com quem é impossível compartilhar opiniões / impressões.
5ª (IMPORTANTISSIMA) Não ser prepotente ao ponto de ditar regras básicas de comportamentos para a restante sociedade (sejam elas de como comer à mesa ou de como assistir a um concerto)

[perdoem-me mas tive que quebrar a regra n.º 5. Evitem que as crianças o facam. Pode ser perigoso]

Crystal Rat disse...

Last Comment:Não tenho necessidade de me justificar, e como o Marco é vosso
amigo e eu não vos conheço de lado nenhum,e pouco interesse tenho em vir a conhecer,ele se quiser que defenda a minha honra, eu não perco mais tempo com este assunto.
Auto-exclui-me deste blog, e não tenciono voltar a escrever aqui.
Realmente a minha entrada foi à matador, mas talvez isso espelhe o quanto fiquei furioso como o que se passou no concerto, porque continuo a afirmar que o público assassinou o concerto e poderia ter sido um daqueles concertos memoráveis,e não o foi pelas razões que já exaustivamente falei.

Reply ao preguiça: Obrigado por achares que o meu post foi o pior aqui.Boa classificação então!Prefiro que me chamem nomes feios e que mandem a certos sítios do quem me mandem boquinhas cínicas e camufladas como fez o tiago e a bri.
Eu estou calmo, mas parece-me ridículo estarem tanto ofendidos com o meu post quando nem sequer tiveram no mesmo concerto que eu.

Reply à bri:

As maravilhosas 5 regras:
A 1ª concordo em absoluto, as pessoas tem direito à expressar a sua opinião, desde que o façam com argumentos, válidos ou não. Por isso disse no meu post que a minha opinião valia o que valia, ou seja pode valer muito, alguma coisa ou mesmo nada. Agora se me respondem como tipicamente muita gente faz em apelidar de reaccionárias certos pontos de vista, a isso eu chamo logo a falta de qualidade de argumentação.
2º Contrapor, argumentar foi o que tentei fazer, mas se tivéssemos frente a frente talvez não chegaríamos a tanta luta, pois ai seria mais fácil exprimir todos os pontos de vista.
3ºEu já expliquei porque não gosto que digam logo a palavra reaccionário!Parece-me óbvio!Argumentem!!!Não me pareceu bem que o meu post fosse logo comentado por um membro do núcleo duro e me apelidasse de reaccionário! Mas a culpa foi minha pois não devia ter sequer ter feito aqui um post. Quanto eu a apelidar a sociedade com essas etiquetas todas feias,oh temos pena!Eu pelo menos sou frontal e não sou hipócrita e cínico e escondo-me por detrás duma mascara.Talvez pertenças a algum desses grupos não?Para ficares assim tão ofendida!!!Mas repito isso é típico !
4º realmente vivo rodeado de pessoal ignóbil, e realmente não os suporto,mas as vezes até são porreirinhos,principalmente os imigrantes, gente pobre e com dificuldades,os sem abrigo,o pessoal velho do meu tasco e etc..! Deves perceber que quando se critica uma massa de pessoas pode-se cair no erro de generalizar!E não te preocupes que eu não ando na rua com sarna aos portugueses, só quando coisas como no concerto,ou coisas básicas como falta de civismo nas estradas, e se há coisas que os portugueses falham é nas coisas básicas!Quanto ao procurar novos rumos na vida, não és tu certamente que tens sequer o direito de me dizer isso. Não te preocupes que mal venda as propriedades e acabe o que tenho de acabar em portugal deixarei o país para os verdadeiros portugueses como tu!Ai ja não ireis ter um chato a fizer para não fazer de tudo um bailarico.Portugal para os verdadeiros portugueses e fora com a escumalha como eu que de vez eu quando vos estraga o vosso mundo perfeito...
Não sou resssabiado,nem reaccionário apenas depressivo!!!
5º Não me chames criança,pois isso é mais um daqueles comentários cínicos e de gente falsa! Se eu o fiz e chamei infantis ao pessoal que tava no concerto foi mesmo com esse objectivo ser cínico!Mas aqui fica mal dizer isso repito:para alguém que foi convidado a escrever aqui!
Quanto às regras, eu apenas direi isto:é as regras que nos distingue dos animais! Queres ser o que?Não saberes comer à mesa!Não teres higiene? Isso são regras, tal como muitas outras que deviam ser obrigatórias, como não poluir este mundo e trata-lo bem, por exemplo!

Com isto findo definitivamente os meus comentários aqui e se quiseres comentar mais força ai, eu não farei mais, porque ate acho que fui bastante incompreendido,mas isso foi apenas por uma razão é que vos vistes ao espelho não foi????

JF disse...

Eu concordo em parte com este post. Os concertos, e as bandas que os dão, não são todas iguais. Existem bandas, como por exemplo Sigur Ros que já vi 2 vezes, em que se exige uma calma e um silêncio na sala, pois o tipo de música a isso obriga. Por outro lado, há concertos em que é impossível resistir a saltar, berrar, bater palmas etc, pois a música é contagiante. Estou a lembrar-me por exemplo do concerto dos Yeah Yeah Yeahs em Coura em 2006 ou mesmo !!!.
Just my 2 cents.

Mariana disse...

bem...depois de ler isto..eu fui ao concerto do porto.concordo com o abuso de histerismo por parte do público.abuso que não me deixou aproveitar os a hawk and a hacksaw, banda que por acaso até aprecio e não consegui ouvir nada!mesmo NADA!mas até compreendo..o pessoal tava lá pelos portishead...abuso de que até a beth se queixou (não sei se quem foi ao concerto do porto reparou, mas a beth no final da roads levou um dedo à boca do, género 'calem-se por favor, ainda não acabei...' não repararam?deviam ter reparado...)mas também houve os momentos em que olhava em volta e parecia tar tudo em transe completamente absorvidos nos seus mundos...o histerismo não se deveu a infantilidade...o histerismo deveu-se ao facto de serem os portishead...senti-me um bocado incomodada porque me exprimi mais na onda do 'entrar em transe' e não de 'ficar histérica'...mas compreendo perfeitamente quem o fez...e tens razão..o espectáculo é sempre a banda e não o público...mas mais importante será talvez a interacção da banda com o público...vais-me dizer que nunca assistis-te a nenhum concerto que resultou num fiasco porque essa ligação (de um lado ou do outro) não se concretizou?

(jf...não estives.t em coura 2004?Yeah Yeah Yeahs PJ Harvey e Placebo...seguidos..isso sim, foi histerismo...ehehhe)

JF disse...

Por acaso estive em P Coura em 2003 uma única noite, em que actuaram os Yeah Yeah Yeahs, PJ Harvey e os Placebo. Tens razão porque foi animado. Lembro-me perfeitamente quando o Brian Molko anunciou que iam tocar uma música de uma outra banda, os Pixies..... Where is my mind. :)
Mas Coura em 2006 também foi animado.