24 maio 2007

Cut Chemist - The Audience's Listening

« DJs com malas de CDs desaparecem... »

No seguimento de um post do João Santos acerca dos grandes produtores do hip hop, este post aborda um álbum proveniente de outra tribo de produtores, mais directamente ligada ao DJing e ao culto do vinil do que ao Pro Tools, falo dos Turntablists, autênticos gurus do vinil, que têm em Dj Shadow o seu mais mediático membro. Após Dj Shadow ter lançado um álbum tão intragável quanto revelador da sua independência criativa, surgiu em 2006 outro ilustre membro do movimento turntablist a estrear-se em álbuns longa duração: o ex-Jurassic 5, Cut Chemist.

O esqueleto de The Audience's Listening faz-se de beats, breaks e vozes desenterradas em lojas de vinis poeirentas de LA, locais que para Dj Shadow ou Cut Chemist são verdadeiros templos, arquivos de sons aparentemente intermináveis, viveiros de samples extraídos dos mais inusitados discos (para melhor compreenderem «the fine art of digging» e o turntablism em geral vejam o documentário "Scratch" de Doug Pray). Depois há a produção irrepreensível que faz sobressair o virtuosismo de Cut Chemist, sem dúvida a componente mais impressionante do álbum. Esse virtuosismo está ilustrado na mestria e criatividade dos seus scratches em faixas como Spat, uma conversa telefónica entre dois gira discos, e My 1st big break, uma faixa em crescendo, que vai acumulando camadas de percussão até uma apoteose com muito scratch à mistura.

A diversidade de ambientes que cada faixa proporciona não deixa também de ser apreciável, The Garden conta com a contribuição de percussionistas brasileiros, uma guitarra de bossa nova, um berimbau omnipresente e um sample de voz de Astrid Gilberto, e contrasta claramente com a aura futurista de Storm que conta com a participação dos mcs de Boston, Edan e Mr. Lif. Há ainda o downtempo de Spoon e a atitude descontraída do mc Hymnal na refrescante What’s the Attitude. Para o final Cut Chemist guardou o melhor, A peak in Time e The Audience is Listening Theme Song são duas faixas poderosíssimas, completamente pegajosas, abrilhantadas por samples com punch lines extraordinárias.

A diversidade de ambientes e estilos que coabitam em The Audience's Listening faz com que o álbum sofra enquanto unidade mas este é sem dúvida um começo animador para a fase pós-Jurassic 5 de Cut Chemist

3 comentários:

Pi disse...

demorou!!!! mas valeu a pena ;)

colei no album... a tua descrição das músicas ajudou... bom post :)

João M. Sousa disse...

o prometido é devido...a demora deveu-se a problemas «técnicos» ;)

João Santos disse...

Belo post sobre um senhor do hip-hop.belo album tambem, como seria de esperar de quem ajudou a arquitectar os albuns de Jurassic 5 e é complice habitual de Dj Shadow.Justa referencia ao mega documentario Scratch (agora tenho o d vd original!)e bela sitaçao de Dealema.33/45...