27 abril 2007

Lyrics of Fury vol 3

Abstenção ( aka O Povo Unido ) by Samuel Mirra ( Sam the Kid )

O povo, unido,
jamais será vencido

Não sou licenciado nem recenseado
com paciência, há-de aparecer alguém credenciado, com moral
Que me faça votar, me faça lutar, me faça notar,
e faça esgotar a campanha eleitoral
Por enquanto é só comédia, money manipula os média,
que se excedem a assustar o nosso povo com medo
Eu não voto, eu boicoto, crio a horas nocturnas,
sei qu'é o meu futuro, mas não vou acordar cedo
Pa pôr um voto nulo ao eleger um chulo ou um cherne,
ou quem governe só com charme mas num mês dá um
terno
e tropeçam, mal começam quando quebram a promessa,
não me peçam interesse, vocês não se interessam
Eu não preciso de reflexão eu já, tou decidido,
eu só voto na verdade e não a vejo em nenhum partido
A minha previsão é o privilégio garantido,
para um puto no colégio "onde é que tá algum
conhecido?"

E eu sou - a percentagem qu'a sondagem nunca mostra,
eu sou - a mente exausta da miragem mal composta
eu sou - a indiferença e a insatisfação,
eu sou a anti-comparência, eu sou abstenção

Pra muitos é defeito, é de facto imperfeito,
e o respeito vem de fato pó eleito logo
Pra mim é mais um cromo que só me vai dar um défice,
só me vai dar a fome quando eu só quero é peace
e eu levo isso a peito , esse apelo é saloio, não se apoia
eu sou,
conforto no aborto de liberdade de escolha, mas só
oiço é palavras sem acção, ponham uma rolha,
e acabem com a brincadeira, putos arrebenta a bolha
A linguagem não é crua e tendo mais remorsos,
e eu nunca vos vi na rua a não ser em outdoors
ou tours, o discurso é coincidência,
todos querem presidência pa ter nova residência
É a minha impressão, o meu desabafo,
neurónios memorizam na televisão toda a gaffe e o
staff
limpa-vos a boca dos beijos que não convencem,
vocês vencem, já não pertencem ao povo, pensem um
pouco
E comecem do início, de novo,
alterem e tirem ("o sacrifício do povo")
E eu devolvo a indiferença pa foder partidos e
blocos,
eles é que tão em alta, a gente anda aqui a contar
trocos

Tu és - justiça postiça que nos pisa a voz,
é o que nos diz a pesquisa dos bisavós/
Alguns dizem qu'o povo unido,
não será vencido e aí não duvido/

[Avó de Sam The Kid (samplado)]
O meu pai era um homem inteligentíssimo
não devia nada a estes cabrões deste filhos duma
puta...
porque é qu'eles estudaram e eu não estudei?
porque é qu'eles têm mais estudos do que eu?
ai não sabes... porque já os pais deles eram mais
ladrões qu'o meu.

3 comentários:

Tiago Fragata disse...

Desculpem amantes de hip-hop, mas para mim estas letras sempre se revelaram de pouquíssima qualidade! Não pela ideia em si, que é de salutar, já que nem todos os movimentos musicais retratam os males das sociedades como o hip-hop os retrata, mas pela forma como eles querem combater esses problemas! As letras sempre associei a um pouco de anarquismo, que apenas se limitam a criticar e não apresentam quaisquer soluções plausíveis!"Eu não voto, eu boicoto" Nada mais errado diz este Sam the Kid!O boicotar é não ir votar!Nunca ocorreu a esse Sam o ir votar em branco? O não votar é anti-cívico e anti-democrático! "não vou acordar cedo
Pa pôr um voto nulo", alguém pode explicar a esse Sam que o voto nulo não é um voto do contra, é apenas um ignorante que não sabe pôr a cruz no sítio correcto, e que por isso esse voto não é considerado, é descriminado, só em termos estatísticos é que conta!

João Santos disse...

1ºponto : em dez anos de eleitor so nao votei uma vez.gosto desta letra ainda que nao defenda tudo o que ela diz.

2ºponto : feita a minha defesa, vamos a defesa do sam. e quem melhor do que ele mesmo para o fazer?
eis as explicações presentes no livreto que acompanha a 1ª ediçao do seu album.
"nunca escrevi sobre politica pq sinceramnte nao me interessa.no entanto,quando fiz este beat ha uns anos o meu pai sugeriu me que fizesse uma letra politica.como sou indiferente a esses otarios da politica,decidi escrever acerca disso mesmo.e aqui podera surgir uma questao:se sou tao indiferente pq dar-me ao trabalho de fazer uam musica com essa tematica?ai eu contra questiono : nao sera valido fazer uma musica sobre a indiferença politica?sei que e contraditorio, e isto nao e so indiferença, e desinteresse, e desprezo, e desconfiança.
Como explico na letra,nao sou recenseado, logo nao voto, e na minha situação estao milhares de jovens.a razao? nao sei.nao preciso de razoes para nao votar, preciso e de razoes para votar.e nao me venham com conversas de valor que o voto tem, porque sendo assim o meu voto e valioso demais para usar numa escolha de exclusao de partes.a maior parte dos votantes votam contra alguem.para eu votar teria que ser a favor de alguem em quem eu acreditasse. e sim,sou a favor da abstençao, pq acredito profundamenteque algo pudesse mudar mais depressa desta forma, do que com cem por cento de votantes nas urnas.para que?para sermos ainda mais na percentagem dos desiludidos?nao.assim a minha consciencia fica tranquila.sei que para muitos isto e de uma ignorancia tremenda, mas as pessoas ja se fartaram de cliches e deja vus todos os dias,todos os anos, e nada muda.
nao me vou alongar mais, o resto esta na musica.oiçam'

resta me dizer que poucos musicos ha com a coragem, frontalidae, honestidade e tao verdadeiros como Sam the Kid.goste-se ou nao.

MC P-Kid disse...

Desculpem lá mas o tiago fragata tá errado, quando o sam the kid diz "eu nao voto, eu boicoto, ele nao está a dizer que faz uma coisa e nao a outra, pois querem dizer o mesmo, ele apenas faz uma acentuaçao de uma ideia usando a adjectivaçao ou seja ele faz o mesmo que isto: eu nao voto, nem nunca vou votar. é um acrescento para reforçar a ideia, só ele sabe entender a sua escrita, é smepre preceber o enrredo. isso que poblicaram tá errado, ele nao diz: eu nao voto mas boicoto, ele diz: eu nao voto e volta a repetir usado a palavra boicoto.