15 março 2007

Este som é de ouro

'Is it so wrong to want rewarding?
To want more than is given to you?
Than is given to you?'

Quando em 2002 James Murphy lançou o primeiro maxi do seu projecto Lcd Soundsystem, 'Losing my Edge' conquistou-me de imediato. Aquela longa divagação com um som dificil de catalogar era algo de muito fresco e parecia-me exactamente o som que procurava. Vinha também incluida na compilação 'Channel 2' (fabulosa!) da Output Recordings de Trevor Jackson dos Playgroup, editora fundamental nos ultimos anos e que infelizmente está já extinta.
Com um pouco de investigação soube que apenas na Europa essa era a editora e que Murphy juntamente com o seu comparsa Tim Goldsworthy era o fundador e proprietario da Dfa Records sediada em Nova Iorque. Para além disso Dfa era também o nome que os 2 usavam para remisturar ou produzir outros artistas. Assim foi por exemplo com o primeiro album dos The Rapture.
Os Lcd Soundsystem não foram no entanto deixados em standby....
Seguiram-se mais maxis: 'Give it Up', 'Yeah' (mais uma grande malha!), 'Movement' (outra!) e começaram os rumores de um album....que viria a ser lançado no inicio de 2005.
'Lcd Soundsytem' era o nome e era também um álbum perfeito que funcionava na pista de dança como em casa e elevava Murphy ao nivel de uma pequena superstar underground. Singles como 'Daft Punk is playing at my House' e 'Tribulations' foram pequenos sucessos de vendas e grandes sucessos de pista, nomes como Tiga ou Lindstrom foram convocados para remisturas e Murphy parecia estar no auge. A confirmar isso a grande forma patente nos espectaculos ao vivo como o que tive o prazer de ver na Casa da Musica em 2005.
Consequencia desta exposição mediática os convites para remisturas da Dfa foram-se sucedendo. Nomes tão diferentes como Tiga, Goldfrapp, Blues Explosion, Soulwax, Chemical Brothers, Gorillaz, Fischerspooner, Hot Chip, Radio 4, N.E.R.D ou Nine Inch Nails receberam o tratamento Dfa e sempre com resultados cativantes. Marca de autor bem definida, faixas longas, dançantes qb e nunca popularuchas, sendo já uma quase garantia de sucesso ter uma remix Dfa.
Para tornar mais facil o acesso a estas remixes dois cds foram lançados 'Dfa remixes' capitulos 1 e 2. Ambos obrigatórios.
Em 2007 Murphy regressa aos escaparates com o novo album 'Sound of Silver'. Graças as maravilhas do download ilegal tive acesso a este disco ainda em Dezembro do ano passado apesar da data oficial ter sido apenas esta semana...Posso por isso falar deste disco com alguma segurança e não apenas deslumbrado por um par de primeiras audições.
E o que posso dizer é que apesar das expectativas altissimas que tinha Murphy não as defraudou. O album não é em nada inferior ao primeiro, talvez seja ainda melhor.Tem mais estrutura de album pensado, tem grandes malhas, tem tudo para ser classico. Não cede em nada. Tem temas ainda mais longos que o primeiro(rara é a faixa que não passa dos 6 minutos), tem Murphy no microfone em grande forma (ele que não é nenhum cantor virtuoso mas compensa com a entrega), tem letras pertinentes, enfim tem aquilo que é preciso. Termina até com uma ode a sua cidade 'New york I Love you, but you're Bringing me Down' belissima no seu amor e desencanto.
É um grande album e ponto final. Para mim vai ser dificil não ser o melhor do ano...e para melhorar o cenário fala-se neles para abrilhantar ainda mais o já de si belo cartaz deste ano do Super Bock Super Rock.
Venham eles!

2 comentários:

João M. Sousa disse...

É mesmo um grande álbum. Acho que em relação ao primeiro, ao nível das letras, está com um sentido de humor ainda mais corrosivo. Também já reservou lugar na minha lista de melhores do ano.

Tiago Fragata disse...

Grande álbum, concordo que será dos melhores ou mesmo o melhor de 2007! É o "Sound of Gold" :)
A entoação e a cadência da música "New york I Love you, but you're Bringing me Down" é genial, só acho que o nome de New York deveria ser mudado para USA...