22 fevereiro 2007

'67 ou a musica pop rock começa a ser respeitada (verdadeiramente)

Anos 60.
Hippies, lutas sociais, flores, drogas, psicadelismo.Cada um escolhe a sua imagem, mas sem duvida uma decada marcante.
Chegados a 1967 tinhamos ja recebido as estreias de Beatles, Rolling stones, Beach Boys...Elvis era ja uma imagem esbatida, a pop e o rock caminhavam para a idade adulta.
Em '66 tinham chegado obras-primas como 'Revolver' dos Beatles ou 'Pet Sounds' dos Beach Boys, com 'Aftermath' os Stones faziam finalmente um album só de originais seus e portanto as expectativas eram elevadas para o ano que se seguia.Mas não acredito que alguem conseguisse prever o que ai vinha....
Em '67 os Rolling Stones embalados pelo tal album de originais lançaram não um, nem dois, mas três (!) albuns : 'Flowers', 'Between the Buttons' e 'Their Satanic Majesties Request'. Os The Who lançaram tambem obras importantes, os Captain Beefheart, os Cream tambem...Ainda em Inglaterra os Beatles lançam 'Sgt Pepper's Lonely Hearts Club Band', para muitos a sua maior obra. Do outro lado do atlantico, Brian Wilson que trabalhava no sucessor de 'Pet Sounds' com o intuito de fazer a maior sinfonia pop de sempre enlouquece com a magia dos Beatles e abandona o trabalho no album que ja havia trazido 'good vibrations'...os Beach Boys deixavam de ser relevantes, os Beatles ainda editaram 'Magical Mistery Tour' nesse ano...
Mas se '67 entra na historia de forma talvez incomparavel é muito pelas estreias desse ano.
Na Inglaterra um grupo de jovens apaixonados pelo poder dos alucinogenicos junta-se para celebrar o psicadelismo. Liderados por um tal de Syd Barret, que entretanto os iria abandonar para um retiro...espiritual (viria a falecer em 2006), esta era a estreia dos Pink Floyd com 'The Piper at the Gates of Dawn' no inicio do que seria uma bela carreira marcante a varios niveis, desde o gosto pelo experimentalismo ate a megalomania e aos grandes espectaculos conceptuais.
Mas nesse ano os Estados Unidos queriam vencer a guerra das estreias....
Foi la que um negro canhoto resolveu revolucionar a maneira de tocar guitarra para toda a historia. Será que já houve alguem tão iluminado na guitarra como Jimi Hendrix?
Em '67 ele não fez por menos e à estreia com 'Are you Experienced?' ainda juntou 'Axis:Bold as love'.
Noutro ponto dos estados unidos aquele que ficaria conhecido por Rei Lagarto e que ainda hoje arrasta pessoas a sua sepultura juntava a sua banda e lançava a sua estreia homonima 'The Doors'. Para não ficarem atras de Jimi lançam tambem 'Strange Days'.
Mas...em Nova Iorque alguem trabalhava para lançar aquele que para mim ainda é o melhor album de estreia de sempre.
40 anos depois continua na vanguarda da musica, é quase impossivel acreditar que foi gravado em '67.
Sem esse album talvez não houvesse o noise, o punk, o glam, a new wave...
Sem esse album talvez ainda hoje não houvesse coragem para fazer letras tão fortes, bizarras e sexuais como aquelas que habitavam neste disco.
Sem esse album talvez o rock nunca tivesse conquistado o respeito das outras artes e dos artistas avant-garde.
Alguem disse um dia que poucos foram os que houviram o album na altura em que saiu, mas que todos os que o fizeram formaram uma banda....Exagero com certeza, mas uma bela frase e uma ideia da influencia deste album no futuro.
Eles eram Lou Reed, John Cale, Sterling Morrison e Maureen Tucker.Tinham a companhia da atriz e cantora Nico e eram produzidos pelo grande Andy Warhol.
O album recebeu o nome da banda 'The Velvet Underground and Nico' mas devido a capa concebida por Andy Warhol ficou para historia como o album da banana.
Começa com uma balada 'Sunday Morning', para logo abraçar um rock abrasivo que com certeza os Strokes não desdenhariam e que os 2 Many Djs usaram no seu mix-cd 'Waiting for the man', que ainda hoje se discute será o lamento de uma prostituta à espera do seu proxeneta ou de um junkie à espera do seu dealer...
Menos subtil é 'Heroin' que é no entanto uma musica genial na sua experimentação.
As minhas preferidas são no entanto as belissimas 'All tomorrow's parties' e 'Venus in Furs'.Ainda que a ultima seja uma ode ao sado-masoquismo....que não me seduz minimamente....
Geniais e marcantes aqui estavam os Velvet Underground que ainda iriam lançaram 'White Light / White Heat' nesse ano(que mania!) mas que a meu ver nunca conseguiram chegar ao nivel desta estreia, mesmo sem nunca serem dispensaveis...
Termina aqui a serie de posts para os anos terninados em 7, na esperança que este ano que decorre esteja à altura de tão bons pergaminhos e me obrigue a escrever mais um capitulo...Lcd Soundsystem, The Good, the Bad and the Queen, Arcade Fire ou Grinderman parecem querer fazer por isso...

1 comentários:

João M. Sousa disse...

grande ano, sem dúvida. não podia ser mais justa a referência ao álbum de velvet underground, que para mim é «o álbum» - e não me refiro só aos 60's.
É que apesar da tempestade de obras primas que varreu os 60's,o Lou Reed, especialmente através da genialidade das suas letras, fez a música pop(ou rock?) ascender a níveis estéticos que pareciam não estar ao seu alcance ( sei que isto não é pacífico,é só a minha opinião).

Grande a post a fechar um excelente ciclo temático.