16 janeiro 2007

45 rpm e o outro lado da questão

Desde meados dos anos 90 e com tendência para agravar ainda mais a situação do velhinho single não é a mais solarenga.
Longe vão os tempos em que fã que era fã tinha e conhecia bem os singles e os seus lados b.Parte da culpa é dos próprios artistas que foram desleixando a edição dos singles/45 rpm (no caso do vinil, aqueles mais pequenos e que tocam a 45 rotações lembram-se?).Cada vez mais os lados b são prenchidos com musicas que são autenticas sobras,nunca conseguiriam um lugar nos melhores albuns.
Quem consegue agora acreditar que musicas como "don't let me down" dos Beatles foram originalmente lado b? Ou que antes de lançarem "combat rock", no single de apresentação, os Clash puseram "should I stay or should I go" ( que viria a tornar-se na sua musica mais conhecida pelas massas) como lado b?
Agora temos resmas de remisturas,pagas a peso de ouro a produtores de musica eletronica que nem sempre resultam,antes pelo contrário,conseguem por vezes desvirtuar totalmente o espirito do tema original,sem que isso resulte sequer obrigatoriamente numa boa musica ou remistura.Um dos exemplos para mim mais flagrantes é o dos Radiohead (para mim sem duvida uma das bandas que mais vezes conseguiu tocar ou roçar a genialidade nos ultimos anos) que têm uma lista de lados b que envergonha e de que maneira os albuns.Alguem me diz uma que entrasse no ok computer?Mesmo as remixes não são nada de especial, talvez exceptuando uma de fila brazilia e outra de four tet....Há exepções, no caso talvez a maior os Depeche Mode que sempre tiveram boas remisturas.Mas a grande maioria....
Outra práctica cada vez mais em desuso é editar singles em que o próprio lado a é uma musica inédita,não porque o album ainda não saiu, mas porque assim foi pensado.E a musica popular, facção pop/rock está cheia de bons exemplos de musicas que foram belissimos singles, marcaram a historia da banda/artista e nunca chegaram a figurar num album,apenas talvez numa compilação...quem sabe de singles....
Exemplos?
"panic" e "ask" dos Smiths, "lady madonna" e "ballad of john and yoko" dos Beatles, "whatever" dos Oasis, "popscene" dos Blur ou mais recentemente (nem todos desistiram desta practica,felizmente) "two more years" dos Bloc Party e "leave before the lights come on" dos Artic Monkeys.
Exemplos de grandes lados b são por sua vez ainda mais numerosos, gostaria de enumerar alguns mais para além dos já citados, que são da minha particular preferência..."asleep" dos Smiths, "footsteps" e "yellow ledbettter" dos Pearl Jam (a segunda encerrou recentemente o 1º de dois concertos no atlantico e foi entoada em coro pelo publico...), "aquiesce", "masterplan" e a versão de "I am the walrus" (beatles) dos Oasis, "suffocated love" (gravado ao vivo numa versão completamente diferente no programa de Jools Holland) de Tricky ou "thirteen" dos dEUS.A lista podia ser maior mas depois ninguem me lê ate ao fim....para acabar destaco não um lado b ou dois mas no geral a carreira de singles de algumas bandas....Strokes,Blur, Massive Attack, Bjork ou Beck que sempre consegiram manter a chama do single bem acesa.
Não sei se alguem concorda comigo mas gostava de voltar aos velhos tempos do single,mas com os downloads a coisa não se afigura fácil...e o preço proibitivo dos singles em alguns sitios(Portugal!!!!) também não ajuda....
Claro que nestas contas não entra a musica electronica,especialmente a mais dancavel que essa continua a apostar bastante em singles, maxis, eps, whatever....
Fica aqui a opinião....

3 comentários:

Tiago Fragata disse...

Outros exemplos: "The End Is the Biginning Is the End" dos Smashing Pumpkins e "Yes Please" dos Muse

O Puto disse...

Durante a década de 90 comprei bastantes singles, maioritariamente em CD, e por vezes aparecia uma boa surpresa em lado B (se bem que em CD não faz grande sentido este conceito). Durante alguns anos parei com esta prática mas há uns tempos retomei-a, virando a minha preferência para o vinil (7"). Qualquer dia dedico um post aos meus lados B de eleição, de entre os discos que possuo.
Outras bandas com vários singles inéditos, ou seja, que não estão incluidos em álbuns de originais: Cocteau Twins, Belle And Sebastian. O tema dos Smashing Pumpkins que o Tiago foi o single de apresentação da banda sonora de um dos filmes da saga "Batman". Outros exemplos de singles inéditos: "Stay Together" dos Suede, os primeiros 3 dos Salad, dos Beta Band e dos Red Snapper, os primeiros de muitas bandas inglesas (Slowdive, Adorable, etc.), etc., etc..

O Puto disse...

Esqueci-me do "Pop Is Dead", dos Radiohead.